Cervejaria Cariniana inclui Amargosa na rota cervejeira

Conhecida por fazer uma das festas de São João mais badaladas do interior da Bahia, Amargosa também virou rota da cerveja artesanal. Isso graças à Cervejaria Cariniana que, ao lado de outros cervejeiros locais, vem introduzindo a cultura cervejeira na cidade do centro sul baiano.

A Cariniana é comandada pelo mestre cervejeiro Daniel Quadros. Ao lado do pai e da esposa, o funcionário público começou a montar a fábrica em 2016, quando as primeiras brassagens caseiras já produziam boas brejas. “Percebemos que as cervejas estavam saindo muito boas para os padrões que estávamos acostumados”, lembra.

Sócios da Cervejaria Cariniana de Amargosa
O mestre cervejeiro Daniel Quadros e a esposa Ana Cláudia são sócios da Cariniana (Divulgação)

Início da produção

No final de 2018, a cervejaria finalizou a compra de todos os equipamentos necessários para iniciar a produção com qualidade. “Meu pai já tem 30 anos de experiência com indústria de laticínios e minha esposa é farmacêutica e responsável técnica. Isso facilitou muito a concepção e o planejamento da fábrica”, destaca Daniel.

A Cariniana começa 2019 produzindo três rótulos. Cariniana Estrellensis, que é uma Kölsch, Cariniana Rubra, uma Irish Red Ale e Cariniana Legalis, uma American Pale Ale (APA). E a capacidade de produção é de 1.250 litros/mês.

Segundo Daniel, a cervejaria já começou a dar entrada na documentação exigida para o registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Além disso, a empresa também já viabilizou a entrada no Simples Nacional.

Fábrica da Cervejaria Cariniana em Amargosa
A fábrica da Cariniana produz atualmente 1,25 mil litros de cerveja por mês (Divulgação)

História do nome

Sem seguir os velhos trocadilhos do mundo cervejeiro, o nome da cervejaria é uma homenagem a um antigo Jequitibá que existia no final da extinta linha férrea da cidade. Segundo a história de Amargosa, a árvore morreu atingida por um raio em meados do século passado. Cariniana é o nome científico do Jequitibá.

Para Daniel, Cariniana soava melhor que Jequitibá por ser “mais nordestino”. Sem contar que os subgêneros davam margem para cada estilo ter um nome ligado à planta. “Cariniana Estrellensis, por exemplo, é o nome científico do Jequitibá-branco, que é a nossa cerveja do estilo Kölsch, e por aí vai”, explica.

Cerveja Cariniana Legalis
American Pale Ale (APA) Cariniana Legalis (Divulgação)

Disseminação da cultura cervejeira

O surgimento da Cariniana em Amargosa já foi suficiente para despertar nos moradores da cidade a curiosidade por novos sabores além daqueles das cervejas da grande indústria. Por isso mesmo, o número de homebrewers – aqueles que produzem cerveja em casa – está crescendo a cada dia.

“E nós damos o maior incentivo pra que isso aconteça, pois a cultura cervejeira só tem a ganhar com mais pessoas tendo conhecimento dos processos de fabricação da cerveja”, diz Quadros, que aposta numa valorização crescente da cerveja feita com qualidade em Amargosa.

Contatos

Quem quiser saber mais sobre a Cariniana, o perfil no Instagram é @carinianacervejaria e o email de contato carinianacervejaria@gmail.com

Francisco Ribeiro

Jornalista e editor do portal Cerveja Na Bahia. Email: contato@cervejanabahia.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *